domingo, 12 de setembro de 2010

Lula diz que Serra faz propaganda, mas não investe no Samu

Foto:blog.planalto.gov.br

Rafael Nardini
Direto de São Bernardo do Campo

Durante a inauguração da Unidade de Pronto Atendimento (UPA 24h), nesta sexta-feira (10), na periferia de São Bernardo do Campo, no Grande ABC, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva atacou o candidato do PSDB à presidência da República, José Serra, por ter discursado em um evento de entrega de ambulâncias do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), em março deste ano, sem ter investido do Estado de São Paulo no programa quando era governador.

"Fui para a cidade de Tatuí (no interior paulista) receber as primeiras 600 ambulâncias do Samu da cidade e lá estava o ex-governador de São Paulo que fez até discurso. E agora você vem me dizer que ele não participa do SAMU, não põe um centavo? Mas fez discurso como se desse muito dinheiro", disse o presidente, simulando uma conversa com o ministro da saúde, José Gomes Temporão, que também participou da inauguração.

Lula, que se definiu com um democrata por abrir espaço para que Serra falasse no evento, discursou após o ministro da Saúde. Em sua fala, Temporão afirmou que o presidenciável tucano não investiu em programas do governo federal na área de saúde para evitar parcerias.

"Devia ter me avisado antes que eu ia chamar a atenção dele no palanque: 'como é que você vem inaugurar o Samu e não põe um centavo? Como é que não ajuda as prefeituras a botar dinheiro (no Samu)? É pura ignorância'", criticou o presidente.

Rosas e risos
Enquanto o ministro Temporão discursava sobre a importância do Sistema Único de Saúde (SUS), o presidente, bem ao maior estilo Roberto Carlos, destacou algumas rosas vermelhas que enfeitavam a beira do palco e jogou para a plateia após beijá-las.

De volta ao berço político do PT, Lula demonstrou bom humor e aproveitou a inauguração da unidade hospitalar para reforçar sua imagem junto aos que acompanhavam o evento. "Vocês sabem que no dia 1º de janeiro eu não vou ser mais presidente. Vou estar com 65 anos e talvez precise usar essa UPA ou uma mais perto do Centro, que espero que o (prefeito de São Bernardo, Luiz) Marinho faça", brincou.

O principal cabo eleitoral de Dilma Rousseff (PT) também reforçou a intenção de ampliar o sistema de UPAs para o País, já que segundo ele, "os pobres têm cada vez mais dificuldade de ir ao médico". "O pobre sofre como... não vou dizer o palavrão aqui, não", disse o presidente em tom de irritação, provocando risos e aplausos da plateia.


Fonte:Redação Terra

0 comentários:

Postar um comentário